Explicando a Dinastia Samoana

Desde que retornou de um hiato causado pela pandemia do COVID-19 em agosto de 2020, como um vilão, Roman Reigns tem referido a si mesmo como o “chefe tribal”, líder de uma dinastia samoana e responsável pelo respeito e sustento desta família. Reigns, de fato, é membro de uma das mais condecoradas e importantes famílias da luta-livre, os Anoa’i, que há seis décadas estão envolvidos no entretenimento esportivo.

A família Anoa’i é originária de Samoa, um conjunto de ilhas no Pacífico Sul, ao leste da Austrália e de Papua Nova Guiné. As ilhas foram dominadas pelo Império Germânico entre 1899 e 1915 e, pelos 47 anos seguintes, pela Nova Zelândia. Em 1962, as ilhas atingiram independência. Apenas em 1997 o país deixou de se chamar “Samoa Ocidental” para se chamar apenas “Samoa”. Os samoanos vivem sob a Fa’a Sāmoa, o “modo samoano”, que consiste em uma vida comunal com fortes relações familiares e de hierarquia (fa’amatai).

O conceito de família dos samoanos é um pouco diferente das culturas ocidentais, incluindo grandes amigos e familiares de consideração como parte do núcleo familiar (‘aiga). Os laços, mesmo não sendo sanguíneos, exigem uma grande lealdade e respeito. Os chefes familiares são conhecidos como matai e é de sua responsabilidade prover e proteger seu grupo familiar.

O reverendo Amituana’i Anoa’i e Fanene Pita Anderson faziam parte da mesma ‘aiga e, assim, eram considerados irmãos dentro do clã. Anderson, mais de 20 anos mais jovem que Amituana’i, era contemporário de alguns dos filhos do reverendo e, no início dos anos 60, deixou Samoa e se mudou para a Nova Zelândia, sendo treinado como um lutador profissional por Steve Rickard, também um jovem lutador, já alcançando sucesso em sua carreira na região.

Anderson, conhecido então como “High Chief” Peter Maivia, tornou-se sensação nos territórios neozelandês e havaiano, chegando a derrotar Rickard em 3 de agosto de 1964 pelo título neozelandês dos pesos-pesados. No entanto, nos anos 70, Maivia já havia se mudado para os Estados Unidos, assim como a família Anoa’i. Na Califórnia, o “High Chief” e Rocky Johnson treinariam um dos filhos do reverendo Amituana’i, Afa Anoa’i, recém-saído da USNSCC, organização da Marinha estadunidense para treinamento de jovens. O canadense Rocky Johnson também havia iniciado sua carreira nos anos 60, tendo viajado para territórios como a Maple Leaf Wrestling (MLW) em Toronto, a Pacific Northwest Wrestling (PNW) em Portland, a Big Time Wrestling (BTW) em Detroit e a World Wide Wrestling Federation (WWWF) em Nova Iorque.

Afa, por sua vez, treinou seu irmão, Sika Anoa’i, com Kurt Von Steiger, estrela da dupla The Von Steigers, 14 vezes campeões de duplas em diversos territórios. Sika trabalhava como estivador na Marinha Mercante dos Estados Unidos até decidir se juntar ao irmão na carreira de lutador profissional. Afa e Sika formaram a dupla The Wild Samoans, interpretando dois violentos selvagens polinésios, e começaram, em 1973, a lutar na Stampede Wrestling de Stu Hart, no noroeste canadense.

Os irmãos explodiram em popularidade e lutaram ao redor do mundo, conseguindo muita visibilidade na World Wrestling Federation (WWF) de Vince J. McMahon, em Nova Iorque, no final dos anos 70. Entre 1980 e 1983, os dois ganharam três vezes o título mundial de duplas da WWF, forjando relações fortes com os McMahons e o território nova-iorquino, que, logo depois, se tornaria um produto nacional. Com Afa e Sika, criam-se duas linhagens de lutadores.

O ramo de Afa, mais velho dos dois irmãos, tem três lutadores. O filho mais velho de Afa, Samuel Anoa’i, foi treinado pelo pai e pelo tio, iniciando sua carreira em 1981. Em 1983, como Samula, ele fez parte dos Wild Samoans na WWF, substituindo Sika, que estava lesionado. No circuito independente, ela adotaria o nome de Samu e formaria a Samoan SWAT Team com seu primo Junior Fatu. Os dois lutariam na WWF como os Headshrinkers e conquistariam o título de duplas da companhia. O filho de Samu, Lance Anoa’i, lutou pela Major League Wrestling (MLW) e fez algumas aparições na WWE entre 2015 e 2019.

O caçula Afa Anoa’i, Jr., mais conhecido como Manu, na WWE, fez parte do grupo Legacy, com Randy Orton, Ted DiBiase, Jr., Cody Rhodes e Sim Snuka. O irmão do meio de Samu e Manu, Lloyd Anoa’i, chegou a lutar na WWF como The Tahitian Savage. No entanto, ele alcançou mais sucesso como The Samoan Warrior nos primeiros anos da Extreme Championship Wrestling (ECW). Além de seus filhos, Afa também levou à família seu genro, Gary Albright, casado com sua filha, Monica. Albright lutou na Stampede, na UWF International (UWFi) e na All-Japan Pro Wrestling (AJPW), onde conquistou duas vezes o título mundial de duplas.

O ramo de Sika é menor, mas inclui lutadores de muito renome. O filho mais velho de Sika, Matt Anoa’i, ficou conhecido como Rosey, parceiro de The Hurricane na WWE nos anos 2000. Mas, antes disso, ele formou uma dupla com seu primo Samu na ECW como a Samoan Gangsta Party. A ideia de samoanos como valentões modernos, com trejeitos de bandidos, também levou Matt à WWE, com seu outro primo, Eddie Fatu, como parte do 3-Minute Warning. O irmão mais novo de Matt, Joe Anoa’i, é o próprio Roman Reings. Projeto pessoal de Vince McMahon, Reigns foi protegido e colocado em uma posição privilegiada na WWE, ganhando o título da WWE em três ocasiões e o campeonato universal em duas.

Outro ramo prolífico da família é o dos Fatu, sobrinhos dos Wild Samoans. Além de Eddie Fatu, que ficou conhecido como o selvagem Umaga na WWE, ex-campeão intercontinental, os Fatu possuem dois irmãos gêmeos na luta-livre: Junior Fatu, que fez parte da Samoan Swat Team, dos Headshrinkers e, depois, como Rikishi, e Sam Fatu, conhecido como The Tonga Kid. Sam estreou na WWF no início dos anos 80, como primo de Jimmy “Superfly” Snuka em sua rivalidade contra “Rowdy” Roddy Piper. Mais tarde, ele se aliou a Tonga Fifita como os vilanescos Islanders.

Rikishi também teve dois filhos gêmeos, Joshua e Jonathan Fatu, que lutam na WWE desde 2010 como Jimmy e Jey Uso, tendo seis reinados como campeões de duplas na companhia. Além deles, há também Sefa Fatu, que luta desde 2018 em promoções independentes. O filho de Sam Fatu, Jacob Fatu, é o atual campeão dos pesos-pesados da MLW. Reno Anoa’i, mais conhecido como Black Pearl, também sobrinho de Afa e Sika, luta desde 2003 no circuito independente estadunidense, assim, como Sean Maluta, participante do Cruiserweight Classic, membro da dinastia Anoa’i pela esposa de Afa.

O último sobrinho dos Wild Samoans também conquistou um espaço importante na luta-livre. Rodney Anoa’i interpretou o lutador de sumô Yokozuna na WWF entre 1992 e 1997, tendo vencido o campeonato da WWF em duas ocasiões. Por seu status como membro da família Anoa’i, “High Chief” Peter Maivia também trouxe descendentes à dinastia. Lia Maivia, esposa do “High Chief”, foi uma das primeiras mulheres a gerenciar um território da National Wrestling Alliance (NWA), tendo assumido o controle da Polynesian Pro Wrestling (PPW), no Havaí, após a morte do marido, em 1982.

Ata Fitisemanu Maivia, filha do primeiro casamento de Lia, se casou com Rocky Johnson e os tiveram um filho, Dwayne Johnson, posteriormente conhecido como The Rock. Conhecido como um dos mais influentes e importantes lutadores modernos, The Rock é 10 vezes campeão mundial. Sua filha, Simone Johnson, está trabalhando na WWE em um contrato de desenvolvimento desde 2020. Joseph Fanene, primo de “High Chief”, é pai de Nia Jax, ex-campeã feminina do Raw. Todo o clã Snuka é ligado aos Anoa’i pelo casamento entre “Superfly” Snuka e sua ex-esposa Sharon. Snuka era considerado tio de The Rock, que tem como primos os filhos de Jimmy, Tamina e Sim Snuka. Tamina chegou a trabalhar como agente dos Usos na WWE, enquanto Snuka dividiu o grupo Legacy com Manu.

Todos esses núcleos familiares dividem um credo e um legado que independe de laços sanguíneos. O “chefe tribal” é responsável pelo bem-estar dos membros da ‘aiga e, por conta disso, Roman Reigns se intitular o líder é uma grande responsabilidade, ainda mais pelo fato de que ele não é parte do ramo principal da família Anoa’i. No entanto, essa posição parece ser mais uma definição da cultura ocidental, vinda das dinastias europeias, do que polinésia. Colocar-se nessa posição, então, é uma grande responsabilidade e uma demonstração de auto confiança da nova personagem arrogante de Reigns.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.